Açores :. Portugal

Açores, Portugal
O arquipélago dos Açores, Portugal

Açores é um arquipélago português composto por nove ilhas localizado no oceano Atlântico a uma distância linear aproximada de 1400 km de Portugal continental. As ilhas dos Açores encontram-se a uma distância de duas horas por avião de Lisboa, quatro horas do Reino Unido, quatro horas do Canadá e cinco horas dos Estados Unidos da América.

Video dos Açores (3 minutos)

Os Açores estão divididos em três grupos com um território de 2423,85 km2:

1 - Grupo Oriental dos Açores

  • Ilha de Santa Maria, com 97,4 km2
  • Ilha de São Miguel, com 759,41 km2

2 – Grupo Central dos Açores

  • Ilha do Faial, com 173,42 km2
  • Ilha Graciosa, com 61 km2
  • Ilha do Pico, com 447 km2
  • Ilha de Santa Maria, com 97,42 km2
  • Ilha de São Jorge, com 246 km2
  • Ilha Terceira, com 381,96 km2

3 – Grupo Ocidental dos Açores

  • Ilha do Corvo, com 17,13 km2
  • Ilha das Flores, com 143,11 km2
  • Ilhéus das Formigas
  • Recife de Dollabarat

O clima do arquipélago é marcado pelo anticiclone dos Açores, apresentando grande quantidade de humidade, chuvas regulares em grande abundância com a presença de ventos fortes ao longo do ano. Os invernos são chuvosos e os verões amenos e nublados. As temperaturas médias variam entre os 13ºC no inverno e os 24ºC no verão. As águas do mar têm uma temperatura média anual entre os 17ºC e 23ºC. Em alguns dias nos Açores podemos experienciar as 4 estações do ano

Os Açores são o local predileto para muitas espécies de aves para descanso, nidificação e reprodução. Os Açores incluem fauna muito diversificada, nomeadamente cetáceos, os mais comuns são os cachalotes, as baleias-de-bico, e golfinhos, existem peixes de menor dimensão, como o peixe-espada, o atum, a enguia, várias espécies de moluscos e bivalves, nomeadamente os polvos, as lapas, as cracas. As aves mais comuns são o milhafre, o pombo torcaz, o pombo da rocha, o priolo, o canário da terra, o cagarro, o garajau rosado. Relativamente a animais terrestres existem o coelho selvagem, a doninha anã, o furão, o morcego-dos-açores. Nos Açores existem duas raças de cães locais: o Cão de Fila de São Miguel e o Barbado da Terceira.

A flora dos Açores merece uma referência especial, nomeadamente pela existência da Floresta Laurissilva, uma floresta com milhões de anos. Esta floresta encontra-se situada no Planalto Central da ilha do Pico, na cordilheira de Santa Bárbara na ilha Terceira e no nordeste da ilha de São Miguel. As principais espécies são o loureiro, a urze, o cedro, o pau-branco, as hortênsias, as camélias e as acácias.
O relevo açoriano é muito acidentado devido à origem vulcânica do arquipélago, criando a paisagem natural das ilhas, nomeadamente na ilha de São Miguel onde existe o Vale das Furnas. As últimas atividades vulcânicas registadas foram: vulcão dos Capelinhos em 1957/58 na ilha do Faial e em redor da Serreta na ilha Terceira em 1998/2000. O ponto mais alto dos Açores encontra-se na ilha do Pico com uma altitude 2352 metros.

História e economia dos Açores

Diz-se que o Arquipélago dos Açores foi descoberto em 1427 por Diogo de Silves ou no ano de 1431 por Gonçalo Velho e recebeu este nome devido às primeiras aves que foram vistas na região, os açores, que seriam, na realidade milhafres. As ilhas foram povoadas entre os séculos XV e XVI por flamengos e portugueses. O arquipélago desempenhou um papel estratégico durante a época dos Descobrimentos devido à posição geográfica, situado entre o continente europeu e o continente americano. Os acontecimentos que merecem um maior destaque ao longo da história dos Açores são a resistência ao domínio espanhol do século XVI e o apoio à causa liberal durante a guerra civil do século XIX.
A emigração desempenhou sempre um papel importante na região, nomeadamente para os Estados Unidos da América e Canadá. A economia açoriana tem sido dependente da agricultura, pecuária e da pesca, nomeadamente a caça à baleia e cachalote. O turismo é o setor da economia mais importante da região, em especial na variante ecológica. Aqui o estado puro e selvagem das ilhas merecem um destaque especial devido a proporcionarem a realização de inúmeras atividades de natureza, nomeadamente a observação de baleias e golfinhos em estado selvagem, o mergulho oceânico, a observação de aves ou a observação de atividade vulcânica.

O Artesanato dos Açores

O artesanato dos Açores reflete as raízes e a história do povo açoriano e a sua ligação ao mar. Os temas de maior destaque são:

  • Bordados dos Açores: destaque para o Bordado de São Miguel, o Bordado da Terceira e o Bordado à Palha de Trigo do Faial
  • Miolo da Figueira: inclui peças tridimensionais com temas da cultura dos Açores
  • Rendas dos Açores: destaque para as Rendas Típicas do Pico e do Faial
  • Registos do Senhor Santo Cristo dos Milagres: são altares em miniatura construídos numa estampa do Senhor Santo Cristo e decorados com flores
  • Trabalhos em Escama de Peixe: artesanato típico dos Açores que consiste na utilização de matéria prima animal, nomeadamente dentes de baleia ou escamas de peixe

Açores, classificado Património Mundial da UNESCO

Os Açores têm duas zonas classificadas como Património Mundial da UNESCO:

  • Centro Histórico de Angra do Heroísmo: foi classificado como Património Mundial da UNESCO em 1983. Era um antigo ponto de paragem obrigatório durante a época dos Descobrimentos Portugueses, tem por principais referências o Forte de São Sebastião, o Forte de São João Batista, a Sé Catedral, o Convento de São Gonçalo, a Igreja de São Gonçalo e a Praça Velha. Este tema está desenvolvido mais à frente no artigo...
  • Paisagem da Cultura da Vinha da Ilha do Pico: foi classificado como Património Mundial da UNESCO em 2004. Abrange uma área total de 987 hectares e tem como referência dois locais: 1 - o Lajido da Criação Velha e, 2 - o Lajido de Santa Luzia, plantados em vastos campos de lava. A paisagem caracteriza-se pela existência de muros de pedra preta devido à lava. Estes muros foram construídos para proteger as plantações de uvas do vento e da água do mar. Esta paisagem única no mundo é o resultado da luta dos primeiros colonos do século XV que conseguiram transformar um local improvável para a cultura de vinho, num local que produz vinho de grande qualidade

Grupo Oriental dos Açores

Ilha de São Miguel

São Miguel é a maior ilha do arquipélago dos Açores, com aproximadamente 138 mil habitantes numa área geográfica de 744 km2, com 62,1 km de comprimento e 15,8 km de largura máxima. O Pico da Vara é o ponto mais alto da ilha com 1105 metros de altitude. A ilha de São Miguel é administrativamente organizada em seis câmaras municipais e sessenta e cinco freguesias:

  • Câmara Municipal de Lagoa, encontra-se organizada em cinco freguesias:
    1. Cabouco
    2. Ribeira Chã
    3. Rosário
    4. Santa Cruz
    5. Vila de Água de Pau
  • Câmara Municipal de Ponta Delgada, encontra-se organizada em vinte e quatro freguesias:
    1. Arrifes
    2. Ajuda da Bretanha
    3. Candelária
    4. Capelas
    5. Covoada
    6. Fajã de Baixo
    7. Fajã de Cima
    8. Fenais da Luz
    9. Feteiras
    10. Ginetes
    11. Livramento
    12. Mosteiros
    13. Pilar da Bretanha
    14. Relva
    15. Remédios
    16. Santa Bárbara
    17. Santo António
    18. Santa Clara
    19. São José
    20. São Pedro
    21. São Roque
    22. São Sebastião
    23. São Vicente Ferreira
    24. Sete Cidades
  • Câmara Municipal da Ribeira Grande: encontra-se organizada em catorze freguesias:
    1. Calhetas
    2. Conceição
    3. Fenais da Ajuda
    4. Lomba da Maia
    5. Lomba de São Pedro
    6. Maia
    7. Matriz
    8. Pico da Pedra
    9. Porto Formoso
    10. Rabo de Peixe
    11. Ribeira Seca
    12. Ribeirinha
    13. Santa Bárbara
    14. São Brás
  • Câmara Municipal de Vila Franca do Campo, encontra-se organizada em seis freguesias:
    1. Água d’Alto
    2. Ponta Garça
    3. Ribeira Seca
    4. Ribeira das Tainhas
    5. São Miguel
    6. São Pedro
  • Câmara Municipal do Nordeste, encontra-se organizada em dez freguesias:
    1. Achada
    2. Achadinha
    3. Algarvia
    4. Lomba da Fazenda
    5. Pedreira
    6. Salga
    7. Santana
    8. Santo António de Nordestino
    9. São Pedro de Nordestinho
    10. Vila de Nordeste
  • Câmara Municipal da Povoação, encontra-se organizado em seis freguesias:
    1. Água Retorta
    2. Faial da Terra
    3. Furnas
    4. Remédios
    5. Ribeira Quente
    6. Vila da Povoação

A ilha de São Miguel foi descoberta entre 1427 e 1431 e o povoamento começou a ser realizado em 1440 com portugueses oriundos do Algarve, do Alentejo, do Norte e da Estremadura. Passado uns anos surgiram os mouros, os judeus, os franceses e os ingleses. Vila Franca do Campo foi a capital dos Açores até ao terramoto de 1522. São Miguel foi ocupada por Espanha em 1582. A laranja foi entre o século XVIII e o XIX a principal fonte de rendimento da economia da ilha. Em 1870 a produção desta fruta diminuiu drasticamente devido ao surgimento de uma doença nos laranjais. Esta crise económica levou a um grande surto de emigração para o Brasil e para os Estados Unidos. A economia de São Miguel recuperou com o desenvolvimento de novas culturas, nomeadamente o ananás, o chá, o tabaco e a espadana. O turismo desenvolveu-se a partir da década de 1980.

A gastronomia típica de São Miguel inclui especialidades como:

  • Fervedouros
  • Caldo Azedo
  • Assado Misto
  • Chicharros com molho vilão
  • Cozido na Caldeira
  • Linguiça com inhames
  • Morcela com ananás
  • Polvo Guisado
  • Cracas
  • Lapas
  • Barrigas de freira
  • Fofas da Povoação
  • Levedos
  • Massa sovada
  • Queijadas de Vila Franca
  • Torresmos de molho de fígado
  • Queijo da ilha
  • Queijo fresco
  • Ananás de São Miguel
  • Vinho de cheiro
  • Licores de ananás e maracujá
  • Chá da Gorreana

As festas e romarias mais importantes de São Miguel são:

  • Festas do Espírito Santo: realizam-se anualmente entre Maio e Setembro por todo o arquipélago dos Açores
  • Festa do Senhor Santo Cristo dos Milagres: realizam-se anualmente no quinto Domingo após a Páscoa
  • Cavalhadas de São Pedro: realizam-se anualmente em Junho

Locais a visitar na ilha de São Miguel

Cascata da Caldeira Velha, ilha de São Miguel, Açores
Cascata da Caldeira Velha, ilha de São Miguel, Açores
  • Caldeira Velha: é uma cascata de água quente situada na Ribeira Grande. A grande atração é a cascata que desce na direção da Lagoa do Fogo
  • Capelas: é uma vila que fica localizada no nordeste da ilha de São Miguel. A Vila é uma referência devido à tradição baleeira e ao Miradouro da Vigia
  • Ermida do Monte Santo: é a ermida situada em Água de Pau. De acordo com os crentes foi nesta ermida que Nossa Senhora apareceu em 1910
  • Estância Termal da Ferraria: é uma estância situada no oeste da ilha. Inclui termas, um restaurante e uma piscina natural de água quente
  • Fábrica de chá da Gorreana: local onde é produzido o famoso chá Gorreana dos Açores. O chá Gorreana é produzido e exportado a partir dos Açores e apreciado em todo o mundo
  • Furnas: freguesia com aproximadamente 1500 habitantes. As principais atrações são as águas termais, as caldeiras, a lagoa das Furnas, a Capela de Nossa Senhora das Vitórias, a Igreja de Santa Ana, o Miradouro das Pedras do Galego e o cozido das furnas – uma especialidade culinária única no mundo
  • Igreja de Nossa Senhora da Estrela: é uma igreja que foi construída no século XVI. As principais atrações são a Capela dos Reis Santos Magos, a Capela do Santíssimo, o coro alto e um museu de arte sacra
  • Igreja do Santo Cristo: é uma igreja localizada em Ponta Delgada. O principal destaque é a imagem do Santo Cristo dos Milagres.
  • Ilhéu de Vila Franca: é um ilhéu situado perto de Vila Franca do Campo, encontra-se classificado como Reserva Natural. É possível visitá-lo durante a época de verão
  • Jardins Românticos: destaque para o jardim desenhado pelo arquiteto paisagista açoriano António Borges e o jardim Jose do Conto. São jardins do século XIX, onde é possível encontrar espécies raras de flora
  • Lagoa Azul: é uma lagoa que fica situada nas Sete Cidades. É local indicado para a prática de desportos náuticos
  • Lagoa de Santiago: é a terceira lagoa das Sete Cidades
  • Lagoa do Congro: é uma lagoa da ilha de São Miguel que inspira sossego e paz. As principais atrações são as águas cristalinas e a floresta circundante
  • Lagoa das Furnas: um local único no mundo que inspira paz e tranquilidade a quem o visita. As principais atrações são os fornos naturais onde se confeccionam o cozido das Furnas
  • Lagoa do Fogo: é a lagoa situada na serra da Água de Pau – é a mais alta da ilha. Proporciona uma vista sobre Ponta Delgada e o vulcão das Sete Cidades
  • Miradouro da Lagoa do Canário: é um miradouro que permite desfrutar de uma das paisagens mais bonitas da ilha de São Miguel. É possível ter acesso de carro até ao miradouro
  • Miradouro da Ponta do Sossego: é o miradouro situado na Lomba da Pedreira, no sul de São Miguel. Inclui o maior jardim do concelho do Nordeste, uma vista panoramica sobre a Fajã do Araújo e a Praia do Lombo Gordo e várias churrasqueiras para picknic à disposição dos visitantes
  • Miradouro da Ponta do Escalvado: é o miradouro situado na freguesia de Ginetes, proporciona uma vista sobre a Ponta da Ferraria e sobre os ilhéus dos Mosteiros
  • Miradouro do Pico da Barrosa: é o miradouro situado no ponto mais alto da ilha de São Miguel – o Pico da Barrosa a 900 metros de altitude. Daqui é possível avistar as nuvens de cima e a lagoa do Fogo
  • Miradouro da tromba do Elefante: este miradouro é apelidado com este nome devido à forma da falésia que se avista na frente. A vista é fantástica, com parte da falésia e panorama do oceano atlântico até ao infinito
  • Miradouro da Vista do Rei: é um miradouro que proporciona uma paisagem única sobre a Lagoa das Sete Cidades
  • Mosteiros: é uma pequena freguesia situada no nordeste da ilha de São Miguel. Merece um visita devido às piscinas naturais e a encontra-se localizada num promontório
  • Parque dos Caldeirões: é um parque situado na costa leste de São Miguel. Os principais pontos de interesse são o rio, o moinho de água, uma cascata, um café e uma loja de recordações
  • Parque Terra Nostra: inclui um jardim – integra uma das maiores coleções de camélias no mundo – e uma piscina de águas quentes e ferrosas – têm uma cor castanha devido à grande concentração de ferro e temperaturas a rondar os 25ºC
  • Poça Dona Beija: é um complexo de spa localizado numa nascente da ribeira dos Lameiros. Inclui cinco piscinas de água quente com temperaturas de aproximadamente 40ºC
Portas da cidade em Ponta Delgada nos Açores
Portas da cidade em Ponta Delgada nos Açores
  • Portas da cidade de Ponta Delgada: são um monumento que simbola a defesa terrestre da cidade. As portas estão situadas no centro da cidade de Ponta Delgada. O principal destaque das portas da cidade é visto depois do por do sol, com a iluminação e o fundo da cidade
  • Praia dos Moinhos: é a praia situada na freguesia de Porto Formoso
  • Praia Areal de Santa Bárbara: inclui o areal mais extenso da ilha de São Miguel e é muito procurada para a prática do surf
  • Quinta Augusto Arruda: é uma quinta com plantação de amanás que fica situada na Fajã de Baixo. A principal atração é a possibilidade de visitar uma grande estufa de produção de ananás
  • Ribeira Grande: é uma cidade situada na costa norte da ilha. Os principais pontos de interesse são o jardim central e a ponte de arcos
  • Ruínas do Hotel Monte Palace: é um hotel que esteve em funcionamento durante um ano e meio no final da década de 1980. As ruínas são um dos pontos de interesse das Sete Cidades devido ao recente aproveitamento do espaço para criação de arte por parte dos artistas do festival de artes Walk & Talk
  • Salto do Cabrito: é uma zona localizada próximo da Ribeira Grande. A grande atração é uma queda de água com aproximadamente 40 metros de altura
  • Sete Cidades: é uma freguesia ex-libris da ilha de São Miguel devido às duas conhecidas lagoas – a lagoa azul e a lagoa verde.
  • Vale das Furnas: é o local onde a freguesia das Furnas está localizada. Os principais destaques são as paisagens panoramicas e os trilhos por onde aconselhamos o passeio

Experiências a experimentar na ilha de São Miguel

  • Beber água diretamente da nascente nas Furnas
  • Canoagem
  • Mergulhar: os principais locais de mergulho da ilha são: Amora, Âncoras do Ilhéu, Arcos da Caloura, Fontes Hidrotermais, Ilhéu de Vila Franca do Campo e Lourenços
  • Experienciar a observação de cetáceos
  • Visitar o fabrico das Cerâmicas Vieira
  • Apreciar a arte urbana da ilha
  • Velejar no litoral da ilha

Ilha de Santa Maria

A ilha de Santa Maria está localizada a aproximadamente 55 km a sul da ilha de São Miguel, com 5500 habitantes, tem uma largura de 9,5 km e um comprimento de 17 km. A ilha encontra-se administrativamente organizada num concelho, Vila do Porto, dividido em cinco freguesias:

  1. Almagreira
  2. Santa Bárbara
  3. Santo Espírito
  4. São Pedro
  5. Vila do Porto

Locais a visitar na ilha de Santa Maria

  • Baía dos Anjos: é uma localizada no norte da ilha, destaca-se por se encontrar rodeada de rochas vulcânicas. Inclui uma piscina natural e um porto de pesca. Está classificada como Reserva Natural e Ecológica
  • Baía da Maia: é uma baía localizada no sudeste da ilha de Santa Maria, destaca-se pela paisagem de vinhas distribuídas ao longo da encosta.
  • Baía de São Lourenço: é uma baía com água a uma temperatura média de 25ºC, destaca-se por se encontrar envolta em vinhas cultivadas em socalcos – uma paisagem de rara beleza
  • Baía da praia Formosa: é uma baía que inclui uma praia de areias claras muito popular nos Açores devido a ser distinta das outras praias do arquipélago dos Açores. As praias nos Açores tendem a ser de areia escura devido a serem de origem vulcânica
  • Barreiro da Foneca e Costa Norte: é uma paisagem em zona protegida numa extensão de 8,35km conhecida como “deserto vermelho”. As principais atrações desta zona são a baía do Raposo, baía do Tagarete e a baía da Cré
  • Capela Nossa Senhora dos Anjos: é o templo religioso mais antigo dos Açores. De acordo com a tradição, conta-se que Cristóvão Colombo terá rezado aqui após regressar da viagem ao continente americano. Os principais destaques são os painéis de azulejos e um altar
  • Centro de Interpretação Ambiental Dalberto Pombo: o centro inclui o espólio do naturalista Dalberto Pombo. O Centro apresenta uma Casa dos Fósseis com um centro 3D que proporciona uma viagem virtual pela formação geológica da ilha
  • Igreja de Nossa Senhora da Assunção, é a Igreja Matriz de Vila do Porto, é uma das igrejas mais antigas dos Açores. Tem sido alvo de pilhagens, destruições e reconstruções ao longo dos séculos
  • Ilhéus das Formigas: são os ilhéus classificados como Reserva Natural com uma extensão de 52393 hectares. Localizados a aproximadamente 20 milhas náuticas da ilha de Santa Maria, é o habitat de corais e de várias espécies, nomeadamente o peixe-cão, o mero, o peixe-rei e é zona de passagem migratória de animais como a tartaruga-boba, o tubarão martelo e outros.
  • Museu de Santa Maria: é um museu com uma coleção de arte sacra como principal atração. O museu de Santa Maria foi inaugurado em 2005
  • Ribeira de Maloás: é uma formação geológica única, tem por principal destaque uma queda de água de aproximadamente 20 metros de altitude

Atividades a experienciar na ilha de Santa Maria

  • Esqui aquático
  • Mergulho: a ilha de Santa Maria é um destino de eleição para mergulhar com jamantas. Um dos principais locais onde é possível avistar este animal marinho é no banco de pesca do Ambrósio
  • Caminhadas: passeios por trilhos recomendados pela Câmara Municipal de Vila do Porto:
    • Costa Norte
    • Pico Alto / Anjos
    • Entre a Serra e o Mar
    • Santo Espírito / Maia
    • Costa Sul
  • Parapente
  • Surf
  • windsurf
  • Velejar

Caraterização da ilha de Santa Maria nos Açores

Santa Maria e uma ilha com paisagens variadas. Praticamente metade do território é composto por planícies áridas, com uma mescla de relevos montanhosos de vegetação luxuriante – o pico mais alto é o Pico Alto com uma altura de 591 metros. O clima é o mais temperado dos Açores e é a ilha com mais sol durante o ano. As temperaturas médias anuais oscilam entre os 12ºC no inverno e os 25ºC no verão.

Breve história da ilha de Santa Maria nos Açores

A data exata da descoberta da ilha de Santa Maria é desconhecida, contudo sabemos que foi povoada no século XV. Vila do Porto foi a primeira povoação dos Açores a receber um foral, ainda no século XV. O povoamento da ilha foi feito por colonos oriundos do Algarve, do Alentejo e da região portuguesa da Beira. A economia da ilha de Santa Maria baseou-se na cultura e exportação do trigo, do pastel e da urzela entre os séculos XVI e XVII. Os ataques feitos por piratas eram frequentes, tendo sido ocupada por um período de cinco dias no século XVI. Em 1901, a ilha foi visitada pelo rei D Carlos e rainha D Amélia. Em 1908, ainda com a monarquia estabelecida no continente português, a ilha de Santa Maria criou a primeira câmara municipal dos Açores – Vila do Porto.

O artesanato da ilha de Santa Maria inclui:

  • olaria: terra de oleiros devido à abundância de barro,
  • trabalhos em lã: manufatura de camisolas, barretas de lã feitas à mão e panos de linho,
  • trabalhos em vime: cestos de palha e outros artigos para uso doméstico e no labor.

A gastronomia da ilha de Santa Maria, Açores

A gastronomia da ilha de Santa Maria inclui pratos únicos no país, nomeadamente:

  • Caldos de Nabos
  • Sopas do Espírito Santo
  • Bolo de Panela
  • Caçoila
  • Polvo Guisado ou Assado em vinho de cheiro
  • Biscoitos de Aguardente
  • Biscoitos Estalados
  • Biscoitos-de-orelha
  • Bolinhos de Consoada
  • Cachão
  • Melindres
  • Cavacas
  • Encanelados
  • Tigelada
  • Morangueiro ou Vinho de Cheiro

Festas e romarias

As festas e romarias mais importantes da ilha de Santa Maria são:

  • Festas do Espírito Santo: realizam-se anualmente entre Maio e Setembro em todo o arquipélago dos Açores
  • Festival Maré de Agosto: realiza-se anualmente em Agosto
  • Festa das Vindimas: realizam-se anualmente em Setembro

Grupo Central dos Açores

Ilha do Faial

A Ilha do Faial tem aproximadamente 15 mil habitantes, está localizada a oeste da ilha do Pico e da ilha de São Jorge, tem um comprimento de 21 km e uma largura máxima de 14 km. A paisagem da ilha é dominada pelo cone vulcânico da Caldeira. O cume mais alto é o Cabeço Gordo situado a 1043 metros de altitude.
O clima da ilha do Faial é moderado, tendo uma temperatura média anual de 24ºC. É recorrente a existência de aguaceiros, nomeadamente entre os meses de Outubro e Abril. A ilha inclui apenas um município – Câmara Municipal da Cidade da Horta - dividido em treze freguesias:

  1. Angústias
  2. Capelo
  3. Castelo Branco
  4. Cedros
  5. Conceição
  6. Feteira
  7. Flamengos
  8. Matriz
  9. Pedro Miguel
  10. Praia do Almoxarife
  11. Praia do Norte
  12. Ribeirinha
  13. Salão

A descoberta da ilha do Faial não tem registo certo de data, contudo o povoamento da ilha começou em 1465 com a chegada de colonos flamengos e portugueses. Em 1468 o flamengo Josse van Huertere foi nomeado capitão-donatário por D Afonso V. O Vale dos Flamengos foi criado nesta altura na cidade da Horta. O cultivo do pastel tornou-se a principal cultura da ilha a partir do século XV. O domínio espanhol no século XVI, os ataques constantes dos piratas e a erupção do vulcão em 1672/73 destruíram grande parte da ilha.

A partir do século XVII, a cidade da Horta transformou-se num importante porto de abrigo situado entre a Europa e a América devido às condições únicas da baía e ao crescimento da exportação do vinho da ilha do Pico. As exportações para Inglaterra e para a Europa continental foram de grande importância para a economia da ilha, nomeadamente a aguardente, o vinho da ilha do Pico - era exportado a partir da cidade da Horta - e a laranja – um dos principais produtos produzido nos Açores até ao século XIX. O porto da Horta serviu de escala para os navios da marinha norte-americana durante o século XIX.

A ilha do Faial teve um papel importante no desenvolvimento das telecomunicações, foram instalados cabos de telégrafos em 1893 que permitiam a comunicação entre a América do Norte e a Europa, e a cidade da Horta foi transformada num dos maiores centros de comunicações do mundo durante a primeira metade do século XX. Em 1928 a cidade da Horta chegou a ter quinze cabos submarinos a ligar a Inglaterra, Estados Unidos da América, França, Canadá, Irlanda, Cabo Verde, Itália e Alemanha.

A aviação foi outro setor importante no desenvolvimento da ilha. A ilha do Faial serviu de ponto de paragem obrigatório para os primeiros hidroaviões que faziam o trajeto Europa / Estados Unidos da América. A primeira travessia do Atlântico Norte foi realizada no dia 17 de Maio de 1919 com escala na cidade da Horta. Entre as décadas de 1930 e 1940, a ilha do Faial foi o local de eleição para paragem dos hidroaviões das companhias aéreas da Alemanha, Inglaterra, França e dos Estados Unidos da América.

Locais a visitar na ilha do Faial

  • Aquário do Porto PIM – Estação de Peixes Vivos: o aquario é contituido por tanques que albergam as espécies costeiras de peixes mais comuns dos Açores, uma exposição permanente alusiva ao Parque Marinho dos Açores e um filme com o tema do mar profundo da plataforma continental contígua ao arquipélago dos Açores
  • Baía da Horta: é segunda maior baía de Portugal, e juntamente com a baía de Setúbal a integrar o Clube das Mais Belas Baías do Mundo
  • Casa do Cantoneiro: é uma casa que foi construída para guardar material de limpeza de estradas, tem por principal atração uma exposição sobre a fauna, flora e geologia da ilha do Faial
  • Casa dos Dabney: é a caso onde viveu a família do Cônsul Geral dos Estados Unidos John Bass Dabney entre 1806 e 1892. Os Dabney especializaram-se no comércio e exportação do vinho e de óleo de baleia para os Estados Unidos da América. Os principais pontos de interesse são um miradouro e uma adega com exposição permanente sobre o vinho e o estilo de vida dos Dabney
  • Casa Manuel de Arriaga: local onde viveu Manuel de Arriaga, primeiro Presidente da República Portuguesa. A Casa Manuel de Arriaga foi inaugurada a 19 de Novembro de 2011. Entre os principais pontos a destacar temos o Foyer , consiste numa coleção de retratos e ilustrações do Presidente da República, de chefes de estado mundiais e da família, exposições permanentes sobre a Primeira República e Manuel de Arriaga, a Sala da Cidadania, com destaque para o Atlas da Democracia, um auditório com capacidade para 65 lugares e os jardins que existem nas imediações do edifício
  • Castelo de São Sebastião: é uma fortaleza construída no século XVII. Faz parte do complexo das fortificações da baía de Porto Pim: guarita, Castelo de São Sebastião, Reduto da Patrulha e Bombardeira. Teve um importante papel na defesa da ilha do Faial. Destaca-se pelo promontório com vista para a baía e as onze canhoneiras
  • Centro de Interpretação do Vulcão dos Capelinhos: foi nomeado melhor museu em 2012 pelo European Museum Forum. O edifício encontra-se debaixo de terra para não interferir com o ecossistema. Os principais pontos de interesses são as exposições permanentes em tecnologia tridimensional sobre as erupções de 1957 em particular, e erupções vulcânicas no geral
  • Centro de Interpretação da Fábrica da Baleia: o centro de interpretação está localizado numa antiga fábrica de transformação de produtos de baleia, tem por principais atrações as exposições permanentes sobre a indústria baleeira dos Açores, o Centro Virtual de Interpretação Marinha, exibe documentários sobre os ambientes costeiros e oceânicos dos Açores e apresenta aos visitantes uma realidade virtual sobre mergulhos até três mil metros de profundidade
  • Fajã do Varadouro: está localizada no sudoeste da ilha do Faial, inclui as Termas do Varadouro e a Ermida de Nossa Senhora do Carmo
  • Igreja Matriz Santíssimo Salvador: a igreja matriz começou a ser construída em 1680. A talha dourada, os painéis de azulejos do século XVII, os púlpitos, o altar-mor e o arcaz da sacristia em pau-santo constituem as principais atrações
  • Império do Divino Espírito Santo dos Nobres: é um monumento construído em 1760 como homenagem aos mortos da erupção vulcânica de 1672 que cobriu toda a ilha do Faial com cinza vulcânica
  • Jardim Botânico do Faial: o jardim foi inaugurado em 1986. Foi distinguido pelo Turismo de Portugal na categoria de “Requalificação de projeto público”. O Banco de Sementes dos Açores e a exposição permanente sobre a História Natural da Vegetação dos Açores estão entre os principais destaques
  • Jardim Florência Terra: é um jardim situado no centro da cidade da Horta, inclui um lago artificial, um coreto e quatro estátuas que representam as quatro estações do ano
  • Marina da Horta: foi inaugurada no dia 3 de Junho de 1986, é a quarta marina oceânica a nível mundial com 300 atracações. A marina da Horta é classificada com Bandeira Azul Europeia desde 1987. Há que destacar as obras de arte pintadas no chão – uma galeria de arte ao ar livre - que, de acordo com a lenda, quem por ali passa tem que pintar para assegurar uma viagem segura. A marina da cidade da Horta é parte habitual do percurso de regatas internacionais, nomeadamente a regata Les Sables – Les Azores – Les Sables, a regata Atlantique Pogo, a regata La Route des Hortensias, a regata ARC Europe, a regata Ceuta – Horta e a regata OCC Corrida Perseguição Açores
  • Monte da Guia: a paisagem protegida do Monte da Guia inclui um conjunto de dois vulcões – um situado no mar e outro situado em terra. Os principais destaques são as dunas de areias, sendo um dos poucos locais onde existem dunas de areia nos Açores, os pássaros que ali habitam e nidificam, sendo um local privilegiado para a observação de aves, e as vistas panoramicas sobre a baía de Porto Pim e o centro histórico da cidade da Horta
  • Museu da Horta: é museu criado em 1977 no edifício do antigo Colégio dos Jesuítas. Exposições sobre a história do porto da Horta, sobre as estações de cabos submarinos, sobre arte sacra e a exposição permanente em miolo de figueira encontram-se entre os principais destaques
  • Museu de Scrimshaw: é um museu inaugurado em 1986 no piso superior do Peter Café Sport. Tem a maior coleção de Arte Scrimshaw do mundo, a arte que consiste em esculpir ou pintar em dentes e ossos de cachalote. As peças decorativas em marfim e osso de cachalote, fotografias, mapas e documentos subordinados aos temas da Caça à Baleia e à Navegação, estão entre os principais destaques
  • Parque Natural do Faial: abrange 18% da área da ilha do Faial e foi criado com o objetivo de proteger as treze áreas protegidas. A cratera vulcânica da Caldeira, o Monte da Guia, a paisagem deserta que foi criada após a erupção do vulcão dos Capelinhos, o Centro de Interpretação do Vulcão dos Capelinhos, o Jardim Botânico – único no arquipélago dos Açores-, Antiga Fábrica da Baleia, Casa do Cantoneiro – é o Centro de Interpretação da Caldeira do Faial, os oito miradouros: o miradouro da Caldeira, miradouro do Cabouco, miradouro de Nossa Senhora da Conceição, miradouro da Ribeira das Cabras, miradouro do Morro de Castelo Branco, miradouro do Vulcão dos Capelinhos, miradouro das Caldeirinhas e o miradouro dos Dabney – constituem os principais pontos de destaque do Parque
  • Torre do Relógio: é a torre que se encontra situada no centro histórico da cidade da Horta, é o que resta da antiga Igreja Matriz da localidade

Atividades a experienciar na ilha do Faial

  • Big Game Fishing
  • Canyoning
  • Caminhadas
  • Golfe rústico: praticar golfe no meio de uma pastagem, de um vulcão ou de um campo agrícola
  • Mergulho com garrafa
  • Nadar com golfinhos
  • Observação de aves
  • Observação de cetáceos
  • Passeios a cavalo
  • Passeios de barco
  • Passeios de BTT
  • Passeios de jipe
  • Vela cruzeiro

A gastronomia do Faial inclui especialidades como:

  • Sopas do Espírito Santo
  • Arroz de lapas
  • Caldeirada de peixe
  • Lapas de molho Afonso
  • Linguiça com inhames
  • Molha de carne
  • Morcela
  • Polvo guisado com vinho de cheiro
  • Torresmos de vinha d’alhos
  • Arroz doce
  • Bolo de milho
  • Fofas
  • Queijo

Festas e Romarias da ilha do Faial

  • Festas do Espírito Santo: realizam-se anualmente entre Maio e Setembro em todo o arquipélago dos Açores
  • Festa de São João: realiza-se anualmente no dia 24 de Julho
  • Festa de Nossa Senhora das Angústias: realiza-se anualmente no sexto domingo depois da Páscoa. É a festa mais importante da ilha do Faial
  • Festas da Semana do Mar: realiza-se anualmente na primeira semana de Agosto

Ilha Graciosa, Açores

A Graçiosa é uma Ilha com aproximadamente 5 mil habitantes, tem 12.5 km de comprimento e 8.5 km de largura máxima. Está integrada no Grupo Central dos Açores. A Graciosa é conhecida como ilha Branca e está administrativamente organizada numa câmara municipal, Santa Cruz da Graciosa, dividida em quatro freguesias:

  • Guadalupe
  • Luz
  • Santa Cruz
  • São Mateus

Como chegar até à ilha Graciosa

A ilha Graciosa tem ligação por avião e barco. Os voos são diários realizados a partir da ilha Terceira com uma duração aproximada de vinte minutos. A ligação por barco tem uma duração aproximada de trés horas e está disponível entre os meses de Maio a Outubro. A Graciosa apresenta um clima temperado sendo a ilha menos húmida de todo o arquipélago dos Açores. O relevo montanhoso mais elevado é o Pico Timão com 398 metros de altura.

O ano da descoberta da ilha Graciosa é desconhecido, contudo os registos referem que o primeiro povoador da ilha foi Vasco Gil Sodré, natural de Montemor-o-Velho. O primeiro capitão-donatário da ilha Graciosa foi Pero Correia da Cunha em 1475. Santa Cruz da Graciosa foi elevada à categoria de vila em 1486 por D João II. A ilha da Graciosa foi atacada sucessivamente por piratas entre os séculos XVI e XVII. O século XIX foi marcado por um período de seca intenso que originou um grande empobrecimento da população. Nas décadas de 1950, 1960 e 1970, registou-se uma emigração em massa para os Estados Unidos da América.

Atrações a visitar na Graciosa

Santa Cruz da Graciosa: é a vila localizada no nordeste da ilha. Tem aproximadamente 4400 habitantes sendo também o único concelho. Santa Cruz da Graciosa manteve caraterísticas próprias ao longo dos tempos: o silêncio, o casario branco, a tranquilidade, a segurança, a proximidade das gentes e a ruralidade. No centro histórico da cidade é possível viajar no tempo, recuando duzentos anos. A Praça Fontes Pereira de Melo constitui o centro nevrálgico de Santa Cruz da Graciosa, com destaque para os dois grandes tanques de água que foram construídos no século XX para abastecer a população e o gado.
Os locais a visitar no concelho de Santa Cruz da Graciosa são:

  • Aeródromo da Graciosa: o aeródromo foi inaugurado no dia 11 de Julho de 1981. Tem ligações aéreas para a ilha Terceira e para a ilha de São Miguel durante praticamente todo o ano, exceptuando durante o inverno
  • Ermida de Nossa Senhora da Ajuda: é uma ermida situada no Alto do Monte da Senhora da Ajuda, construída no século XVI e restaurada em 2012. Daqui é possível desfrutar de uma paisagem panorâmica sobre o mar e sobre a vila de Santa Cruz da Graciosa
  • Ermida de São João: é um ermida construída no século XVI no topo do Monte da Senhora da Ajuda. A Ermida é conhecida por ser o ponto de saída da procissão dedicada a Nossa Senhora de Guadalupe, que percorre a maior distância nos Açores. Acontece anualmente no dia 24 de Maio
  • Fortim da Calheta: também designado de Forte do Corpo Santo, foi construído para resistir aos ataques de piratas e corsários.
  • Igreja Matriz de Santa Cruz: é uma igreja construída no século XVI, merece uma referência especial devido à fachada e ao altar
  • Monte de Nossa Senhora da Ajuda: localizado a aproximadamente 280 metros de altitude, inclui a ermida de Nossa Senhora da Ajuda, a ermida de São Salvador e a ermida de São João
  • Museu da Graciosa: é um museu inaugurado no dia 6 de Dezembro de 1983. As principais atrações do museu são: a recriação de uma casa típica da ilha Graciosa, os canhões de defesa da ilha, um núcleo museológico dedicado à atividade baleeira e um moinho típico da ilha
  • Piscinas Naturais (Termas): piscinas situadas próximo do centro da vila de Santa Cruz da Graciosa. As piscinas são muito frequentadas durante os meses de verão
  • Praça de Touros: A praça de touros encontra-se situada dentro de uma cratera de um vulcão
  • Torre da Igreja de Nossa Senhora dos Anjos: é a torre sineira que resta da igreja de Nossa Senhora dos Anjos do século XVIII. O painel de azulejo constitui a principal atração
  • Barro Vermelho: é uma zona de lazer que inclui um parque de merendas
  • Caldeira da Graciosa: é uma depressão circular com aproximadamente 1600 metros de diâmetro e 350 metros de profundidade, é classificado como Monumento Natural Regional. A Furna de Enxofre, as espécies raras de flora e a paisagem constituem os principais pontos de interesse
  • Farol da Ponta da Barca: é o farol mais alto de todo o arquipélago dos Açores. Aconselha-se a subida ao topo da torre para apreciar a vista panoramica
  • Furna do Enxofre: com um fenómeno único no mundo, é possível visitar um vulcão a situado a 100 metros de profundidade. A gruta inclui uma abóboda de 80 metros de altitude com estalactites, um lago subterrâneo e uma escadaria de 183 degraus construída em 1939. É uma visita essencial a quem visita a ilha da Graciosa
  • Furna da Maria Encantada
  • Ilhéu da Baleia: é um ilhéu localizado ao largo da costa norte da ilha da Graciosa. A baía e as águas cristalinas constituem os principais destaques
  • Ilhéu da Praia: é um ilhéu com aproximadamente doze hectares, inclui uma das maiores colónias de aves marinhas de todo o arquipélago dos Açores.
  • Ilhéu de Baixo: é um ilhéu com aproximadamente 74 hectares, é um local de nidificação para algumas espécies de aves, nomeadamente roquinhos e gaivina-rosada
Moinhos de vento tipicos da Graciosa Açores
Moinhos de vento tipicos da Graciosa Açores
  • Moinhos da Graciosa: são mais de vinte moinhos em toda a ilha e todos têm uma característica similar, o telhado é vermelho. Os moinhos foram construídos em grande quantidade devido à produção de cereais, tendo atribuído à ilha Graciosa o titulo de celeiro dos Açores
  • Porto Afonso: é um antigo porto piscatório. As principais atrações são as grutas e a beleza paisagística
  • Praia de São Mateus: é uma praia situada na zona oriental da ilha Graciosa, é a única praia de areia da ilha. É muito frequentada por praticantes de mergulho
  • Termas do Carapacho: localizadas na povoação do Carapacho, existem desde 1750. As águas têm capacidades únicas na cura das mais variadas doenças, nomeadamente reumatismo, colites e doenças de pele. As infraestruturas das termas incluem também uma piscina natural

Atividades a experienciar na ilha Graciosa

  • Caiaque
  • Escalada
  • Mergulho: a ilha Graciosa apresenta mais de quarenta locais indicados para a prática do mergulho. O ilhéu do Topo e a Baixa dos Rosais ao largo da ilha Graciosa, também apresentam condições únicas para a prática desta atividade náutica
  • Caminhadas
  • Passeios a cavalo
  • Passeios de bicicleta / BTT
  • Pesca
  • Surf
  • Windsurf
  • Vela cruzeiro

Festas e Romarias na ilha da Graciosa

  • Festas do Espírito Santo: realizam-se anualmente sete semanas depois da Páscoa
  • Festas de Santo Cristo: realizam-se anualmente em Agosto e incluem regatas e touradas

Gastronomia tipica da Graciosa

A gastronomia da Graciosa inclui especialidades como:

  • Caldeirada de peixe
  • Cavacas
  • Capuchas
  • Escomilhas
  • Queijadas da Graciosa
  • Vinho da Graciosa

Ilha do Pico

A ilha do Pico é a segunda maior ilha dos Açores com aproximadamente 14200 habitantes, é profundamente marcada pela paisagem da cultura vinícola com campos de lava onde se erguem as vinhas protegidas por muros de pedra e pela montanha do Pico, a montanha mais alta de Portugal com 2530 metros de altura e Reserva Natural desde 1972. A ilha do Pico tem 42 km de comprimento e 15,2 km de largura. A ilha tem ligações horárias com a ilha do Faial, uma viagem de aproximadamente trinta minutos. O silêncio, a paisagem, as orquídeas azuis, o som das ondas do mar a bater nas rochas e o chilrear das cagarras marcam a ilha do Pico. A ilha do Pico é uma ilha com uma atividade cultural e musical intensa, nomeadamente através do folclore, com a existência de sete grupos de ranchos folclóricos, e das treze bandas filarmónicas na ilha.

A ilha do Pico é formada pela ilha principal e por 31 ilhéus, encontra-se a uma distância de 8,3 km do Faial, a 15 km da ilha de São Jorge. O Pico é administrativamente organizado em três concelhos e dezassete freguesias:

  1. Câmara Municipal de São Roque do Pico - encontra-se dividida em cinco freguesias:
    1. Prainha
    2. Santa Luzia
    3. Santo Amaro
    4. Santo António
    5. São Roque do Pico
  2. Câmara Municipal da Madalena - encontra-se dividida em seis freguesias:
    1. Bandeiras
    2. Criação Velha
    3. Candelária
    4. Madalena
    5. São Mateus
    6. São Caetano
  3. Câmara Municipal das Lages do Pico - encontra-se dividida em seis freguesias:
    1. Calheta de Nesquim
    2. Lajes do Pico
    3. Piedade
    4. Ribeiras
    5. Ribeirinha
    6. São João

A data da descoberta da ilha do Pico é uma incógnita. O povoamento do Pico começou em 1431 com a vinda dos colonos do norte de Portugal. Em 1501, Lajes do Pico recebeu o foral de vila. A agricultura desempenhou um papel importante na atividade económica da ilha, nomeadamente a cultura de trigo, cultura de pastel, uma planta tintureira, e com a produção de vinho. A pesca e a caça à baleia foram outros setores importantes da economia. A localidade da Madalena foi elevada à categoria de vila em 1723. A ilha sofreu uma grave recessão no século XIX com a praga do oídio, um fungo que ataca as vinhas. A recuperação económica apenas começou a processar com a presença de baleeiros norte-americanos e com o surgimento de uma nova atividade: a caça ao cachalote.

Locais a visitar na ilha do Pico

  • Lajes do Pico: é a vila capital da ilha do Pico, está situada na costa sul da ilha, com aproximadamente 1800 habitantes. A capital da ilha do Pico é um centro de tradição baleeira. A vila de Lajes do Pico foi a primeira localidade a ser fundada na ilha por Fernando Álvares Evangelho. Foi elevada a vila em 1501. Em 1960 ergueu-se um padrão comemorativo da fundação da vila.
    Locais a visitar em Lages do Pico:
  1. Calheta de Nasquim: um dos principais portos dos Açores para a caça à baleia e local da primeira armação de caça ao cachalote em 1876. As principais atrações são a Casa dos Botes Baleeiros, a Igreja Paroquial de São Sebastião, o Moinho de Vento do Mourricão, a vila de Fetais de Cima, com casas rurais construídas em pedra vulcânica de cor preta
  2. Ermida de São Pedro: é ermida construída pelos primeiros colonos da ilha
  3. Igreja Matriz: igreja construída no século XX para substituir o antigo templo do século XVI, que se encontrava arruinado. O altar-mor e as colunas de pedra estão entre as principais atrações
  4. Museu dos Baleeiros: museu inaugurado no dia 28 de Agosto de 1988, encontra-se organizado em cinco núcleos:
  5. Núcleo do bote açoriano
  6. Núcleo da tenda do ferreiro
  7. Núcleo da construção naval
  8. Núcleo da arte baleeira
  9. Núcleo do baleeiro em terra - É o museu mais visitado dos Açores, com aproximadamente 28 mil visitantes por ano.
  10. Poço de maré: e um poço que servia anteriormente para abastecimento de água à população
  • São João: é um local conhecido pelo queijo de São João. A igreja de São João Batista e os moinhos de vento constituem as principais atrações
  • Adegas do Cachorro: é o local onde se podem provar os licores típicos da ilha do Pico
  • Gruta das Torres: é o maior tubo de lava do país, com 5150 metros, está classificado como Monumento Natural Regional, inclui o Centro de Interpretação
  • Lajido da Criação Velha: o rola-pipas, uma ermida, as vinhas, os poços de maré, as rilheiras, os alambique e as adegas tradicionais constituem os principais pontos de interesse de Lajido da Criação Velha. O vinho do Verdelho é produzido nesta região vinícola
  • Lajido de Santa Luzia: um dos lugares mais emblemáticos da paisagem cultural do vinho e responsável pela classificação de Património da Humanidade pela UNESCO em 2004. O Centro de Interpretação da Paisagem da Vinha da ilha do Pico, o Núcleo Museológico do Lajido constituem as principais atrações
  • Lagoa do Capitão é visitada pelo ambiente e para visualizar formações lávicas em forma de cão
  • “Mistérios”: são os campos de lava derramada devido a erupções vulcânicas, existem por toda a ilha do Pico
  • Montanha do Pico: é a montanha mais alta de Portugal com 2351 metros de altitude. A subida ao topo da montanha é feita pela encosta poente numa extensão de cinco km devidamente assinalados e demora aproximadamente quatro horas. A estrutura vulcânica do Pico tem aproximadamente 750 mil anos
  • Parque Florestal Matos Souto: também conhecido por Centro de Formação Agrícola Matos Souto, fica situado na freguesia da Piedade, no concelho de Lajes do Pico. Jardins, viveiros de plantas, terrenos agrícolas e pastagens estão entre os pontos de interesse deste centro
  • Parque Florestal da Prainha do Norte: é um parque florestal que abrange uma área de 11,97 hectares e uma extensão de 2068 metros. A flora típica da ilha, o miradouro, uma adega típica, uma zona de campismo e um campo polidesportivo constituem as principais atrações
  • Parque Florestal Quinta das Rosas: é um parque situado a 150 metros de altitude numa área de três hectares. Os principais destaques são: o Centro de Estudos e Divulgação Florestal e as mais de 250 espécies florestais e ornamentais – algumas delas muito raras
  • Parque Florestal de São João Pequenino: localizado a aproximadamente 100 metros de altitude, o parque florestal abrange uma área de 212 hectares. O Centro de Interpretação do Mistério de São João, a observação de aves, a prática de atividades desportivas ao ar livre constituem os grandes destaques deste parque
  • Santo Amaro do Pico: é onde está localizado o grande centro de construção naval do Pico e dos Açores
  • Vila da Madalena: é uma vila açoriana situada na ponta ocidental da ilha do Pico, com aproximadamente 2500 habitantes. A Vila era antigamente conhecida pelos dois ilhéus – Deitado e em Pé. Em 2017 a vila Madalena do Pico foi eleita a cidade portuguesa do Vinho 2017 pela Associação de Municípios Portugueses do Vinho.
    As principais atrações da vila da Madalena são:
    1. Ermida de Santa Isabel
    2. Museu do Vinho
    3. Museu dos Cachalotes e das Lulas
    4. Moinho de Santana
    5. Solar dos Arriaga
    6. Zona Balnear da Areia Funda
    7. Piscinas de São Mateus
    8. Algar das Ginjas
    9. Gruta das Torres
    10. Gruta do Morro dos Chapéus
    11. Gruta dos Túmulos
    12. Gruta Surpresa
    13. Miradouro do Largo da Eira do Moinho
    14. Trilhos de São Caetano
    15. Vinhas da Criação Velha
    16. Cais do Mourato
  • Vila de São Roque do Pico: é vila situada na costa norte da ilha do Pico, com aproximadamente 1300 habitantes. Foi elevada à categoria de concelho em 1542. A vila é representativa de uma antiga tradição baleeira oriunda do século XVIII. Os principais pontos de interesse são a igreja de São Miguel Arcanjo, a igreja de Nossa Senhora das Dores, as grutas de São Roque, a lagoa do Caiado, a lagoa do Peixinho, a lagoa da Rosada e o Museu da Antiga Fábrica das Armações Baleeiras.
  • Zona Especial Protegida das Furnas de Santo António: está localizada junto à costa a uma distância aproximada de vinte e cinco minutos da vila da Madalena. Local especialmente indicado para a prática do mergulho, com um acesso através das piscinas de Santo António. Nesta zona é possível mergulhar até um máximo de 17 metros de profundidade e observar várias espécies marinhas, nomeadamente as vejas, os polvos, as salemas, peixes-rainha e moreiras. A principal atração do mergulho é o arco subaquático com aproximadamente oito metros de largura e dez metros de comprimento. As Furnas de Santo António são o local ideal para a prática de vários tipos de mergulho, nomeadamente o mergulho noturno, a fotografia subaquática, o batismo de mergulho e snorkelling em apneia.

Atividades a experienciar na Ilha do Pico

  • Espeleologia
  • Mergulho subaquático: existem nove locais de excelência para a realização desta prática desportiva:
    1. Arcadas de São Roque
    2. Arcos da Formosinha
    3. Arcos do Pocinho
    4. Baixa da Barca
    5. Baixa do Norte
    6. Baixa do Sul
    7. Cachorro
    8. Corais de São Caetano
    9. Furnas de Santo António
  • Observação de cetáceos
  • Passeios pedestres
  • Passeios de bicicleta
  • Passeios de burro
  • Passeios de cavalo
  • Vela de cruzeiro

Gastronomia da ilha do Pico

A gastronomia da ilha do Pico inclui especialidades que refletem as características da região, nomeadamente:

  • Sopas do Espírito Santo
  • Linguiça com inhames
  • Molha de carne
  • Bolo de milho
  • Bolo de vésperas
  • Rosquilhas
  • Queijo
  • Aguardente
  • Vinho

Festas e Romarias da ilha do Pico

  • Festas do Espírito Santo: realizam-se anualmente entre Maio e Setembro
  • Festa de Santa Maria Madalena: realiza-se anualmente em Julho
  • Cais de Agosto: realiza-se anualmente no último fim-de-semana de Julho
  • Semana dos Baleeiros: realiza-se anualmente em Agosto
  • Festas do Bom Jesus Milagroso: realiza-se anualmente em Agosto
  • Festa das Vindimas: realiza-se anualmente em Setembro

Ilha de São Jorge

A Ilha de São Jorge é uma ilha com aproximadamente 9200 habitantes, faz parte das ilhas do triângulo Faial, Pico e São Jorge. Tem 54 km de comprimento e 6,9 km de largura. O ponto mais alto da Ilha de São Jorge é o Pico da Esperança com 1053 metros de altitude. A ilha de São Jorge encontra-se organizada em duas câmaras e onze freguesias:

  • Câmara Municipal de Velas: encontra-se organizada em seis freguesias:
    1. Manadas
    2. Norte Grande
    3. Rosais
    4. Santo André
    5. Urzelina
    6. Velas
  • Câmara Municipal da Calheta: encontra-se organizada em cinco freguesias:
    1. Calheta
    2. Norte Pequeno
    3. Ribeira Seca
    4. Vila do Topo

A ilha de São Jorge começou a ser povoada em 1460 com colonos vindos do Norte de Portugal. Em 1470 já tinham sido fundadas algumas localidades, com destaque para a vila de Velas. A economia da ilha baseou-se no trigo, na pesca de atum e nas pastagens de gado. A ilha foi muito atacada por piratas e corsários durante os séculos XVI e XIX. A ilha de São Jorge foi classificada como Região Demarcada para o queijo de São Jorge

.

Gastronomia da ilha de São Jorge

A gastronomia típica de São Jorge inclui pratos como a caldeirada de congro, inhames com linguiça, a molha de carne, ameijoas, bolo de véspera, espécies – doce em forma de ferradura -, queijo de São Jorge, rosquilhas, café produzido na fajã dos Vimes e aguardente de nêspera e angelica.

Festas e romarias da ilha de São Jorge

As principais festas e romarias da ilha de São Jorge são:

  • Festas do Espírito Santo: realizam-se anualmente em todas as ilhas do arquipélago entre Maio e Setembro
  • Festival de Julho: realiza-se anualmente na segunda quinzena de Julho
  • Semana Cultural: realiza-se anualmente em Julho

Locais a visitar na ilha de São Jorge

Calheta: é um concelho com aproximadamente quatro mil habitantes. A Calheta foi elevada a vila em 1534, é famosa pelo casario branco e pela arquitetura tradicional.
As principais atrações da Calheta são:

  • Convento de São Francisco
  • Igreja Matriz da Calheta
  • Igreja Matriz da Ribeira Seca
  • Igreja Matriz do Topo
  • Igreja de Santa Catarina
  • Casa dos Tiagos
  • Solar dos Noronhas
  • Museu Francisco Lacerda
  • Fajã de Bodes
  • Fajã da Caldeira de Santo Cristo
  • Fajã dos Cubres
  • Fajã da Peneda
  • Fajã de Pontas
  • Fajã de São João
  • Fajã dos Vimes
  • Canal de São Jorge: local único na ilha para a observação de Baleias e Golfinhos
  • Praia do Porto dos Terreiros: é uma zona balnear muito procurada para a pesca desportiva e para o veraneio
  • Preguiça: é uma das principais zonas balneares da ilha de São Miguel. Está localizada no concelho de Velas
  • Queimada: é uma zona situada a sul da freguesia de Santo Amaro, proporciona uma vista única sobre vila de Velas
  • Velas: é um concelho da ilha de São Jorge com aproximadamente 5 400 habitantes. Esta localidade tem os seguintes pontos de interesse:
    • Aeroporto Internacional de São Jorge
    • Cais das Velas
    • Centro Histórico
    • Ermida de São José
    • Forte de Nossa Senhora da Conceição das Velas
    • Forte de Nossa Senhora do Pilar
    • Igreja Matriz de São Jorge
    • Igreja da Ribeira de Areia
    • Igreja de Nossa Senhora das Neves
    • Jardim da Praça da República
    • Marina das Velas
    • Miradouro do Mirante
    • Museu de Arte Sacra
    • Portão do Mar
  • Ilhéu do Topo: é um ilhéu situado a leste da ilha de São Jorge, classificado como Reserva Natural, é um local privilegiado para a observação de aves
  • Pico da Esperança: é uma montanha vulcânica e o ponto mais alto da ilha de São Jorge com 1053 metros de altitude. Em dias de céu limpo é possível avistar a ilha do Faial, a ilha do Pico, a Ilha Terceira e a ilha Graciosa.

Atividades a experienciar na ilha de São Jorge

  • Espeleologia
  • Mergulho subaquático
  • Caminhadas
  • Passeios de BTT
  • Pesca desportiva
  • Vela de cruzeiro
  • Surf

Ilha Terceira

A Ilha Terceira é uma ilha com 30,1 km de comprimento e 17,6 km de largura máxima, é a segunda ilha mais populosa dos Açores, com aproximadamente 57 mil habitantes. O relevo montanhoso mais elevado é a Serra de Santa Bárbara com 1021 metros de altitude. A ilha Terceira é administrativamente organizada em duas câmaras municipais e trinta freguesias:

  • Câmara Municipal da Praia da Vitória: encontra-se organizada em onze freguesias:
    1. Agualva
    2. Biscoitos
    3. Cabo da Praia
    4. Fonte do Bastardo
    5. Fontinhas
    6. Lajes
    7. Porto Martins
    8. Quarto Ribeiras
    9. Santa Cruz
    10. São Brás
    11. Vila Nova
  • Câmara Municipal de Angra do Heroísmo: encontra-se organizada em dezanove freguesias:
    1. Altares
    2. Cinco Ribeiras
    3. Conceição
    4. Doze Ribeiras
    5. Feteira
    6. Porto Judeu
    7. Posto Santo
    8. Raminho
    9. Santa Bárbara
    10. Santa Luzia
    11. São Bartolomeu
    12. São Bento
    13. São Mateus da Calheta
    14. São Pedro
    15. Serreta
    16. Terra Chã
    17. Vila de São Sebastião

A ilha de Jesus Cristo – nome por que era conhecida a ilha Terceira durante os Descobrimentos – foi a terceira ilha dos Açores a ser descoberta. O povoamento começou em 1450 nas localidades de Porto Judeu e Praia da Vitória. A ilha Terceira constituiu, ao longo da história, um centro de resistência aos invasores, com referência especial para a derrota dos invasores espanhóis em 1581 na batalha da Salga e a vitória dos liberais do rei D Pedro em 1829, após uma violenta batalha naval na Vila da Praia. A partir do século XIX, a economia da ilha Terceira dependeu do porto da Praia da Vitória, da base militar das Lajes dos Estados Unidos da América, no aeroporto comercial e do turismo.

A gastronomia da ilha Terceira

A gastronomia da ilha Terceira inclui pratos como a alcatra de peixe, a alcatra de carne, as sopas do Espírito Santo, os bolos Dona Amélia, os coscorões, as coruncópias, o arroz doce, o vinho verdelho dos Biscoitos e o vinho licoroso Chico Maria.

As festas e romarias mais importantes são:

  • Danças de Carnaval da Terceira: realizam-se anualmente no período do Carnaval
  • Festas do Espírito Santo: realizam-se anualmente entre Maio e Setembro em todo o arquipélago
  • Festa de São João: realiza-se anualmente no dia 24 de Junho
  • Festas Sanjoaninas: realizam-se anualmente na segunda quinzena Junho
  • Festas da Praia: realiza-se anualmente na primeira quinzena de Agosto
  • Touradas à Corda: consiste numa modalidade tauromáquica específica dos Açores e caracteriza-se pela corrida de 4 touros adultos da raça brava da ilha Terceira ao longo de um arraial montado numa rua ou estrada - realizam-se anualmente entre Maio e Outubro
  • Outono Vivo: realiza-se anualmente em Agosto – é a maior feira do livro dos Açores
  • Festival Angrarock: realiza-se anualmente em Setembro
  • Festival Angrajazz: realiza-se anualmente em Outubro

Locais a visitar na ilha Terceira

Angra do Heroísmo: a cidade foi classificada como Património Mundial da UNESCO no dia 7 de Dezembro de 1983, com aproximadamente 21300 habitantes. Angra do Heroísmo é a capital histórica dos Açores, foi a primeira freguesia dos Açores a ser elevada a cidade em 1534 e foi capital do reino português entre 1580 e 1583. A partir da independência de Portugal em 1640, foi considerada “sempre leal cidade. O nome atual de Angra do Heroísmo tem origem nas guerras liberais do século XIX entre D Pedro e D Miguel – Angra do Heroísmo sempre defendeu a liberdade e contribuiu decisivamente para a vitória do rei D Pedro.

Os pontos de interesse de Angra do Heroísmo são:
  • Convento de São Francisco
  • Mosteiro da Esperança
  • Mosteiro de São Gonçalo
  • Forte do Negrito
  • Forte Grande de São Mateus
  • Forte de São Sebastião
  • Forte de São João Batista
  • Solar da Nossa Senhora dos Remédios
  • Palácio Bettencourt
  • Paços do Concelho
  • Casa do Capitão-Donatário
  • Rua Direita
  • Alto das Covas
  • Reservatório de Santa Bárbara
  • Baía da Salga
  • Museu Casa dos Botes Baleeiros
  • Museu Taurino
  • Museu de Angra do Heroísmo
  • Centro de Interpretação da Gruta do Natal
  • Centro Etnográfico da Quinta do Martelo
  • Museu Etnográfico da Ribeirinha
  • Igreja Matriz São Sebastião
  • Igreja Santuário de Nossa Senhora dos Milagres
  • Igreja de São Mateus da Calheta
  • Igreja de Nossa Senhora da Guia
  • Capela de Santo António da Grota
  • Grota do Medo
  • Serra do Morião
  • Serra da Ribeirinha
  • Miradouros do Raminho
  • Miradouro da Ponta da Serreta
  • Miradouros da Serra de Santa Bárbara
  • Miradouros da Serra da Ribeirinha
  • Miradouros das Veredas
  • Miradouro da Memória
  • Miradouro do Pico dos Cruzinhos
  • Ilhéu das Cabras
  • Lagoa do Negro
  • Lagoa do Cerro
  • Lagoa do Pinheiro
  • Lagoa Funda ou Joaninha
  • Lagoa Negra
  • Lagoa da Falca
  • Lagoinha
  • Primeira Lagoinha do Vale Fundo
  • Segunda Lagoinha do Vale Fundo
  • Terceira Lagoinha do Vale Fundo
  • Gruta do Algar do Carvão
  • Gruta das Agulhas
  • Gruta do Natal
  • Monte Brasil
  • Ponta das Contendas
  • Pico Matias Simão
  • Ponta da Serreta
  • Ribeira do Além
  • Serra de Santa Bárbara
  • Terreiro

Praia da Vitória: é uma cidade com aproximadamente 7 mil habitantes, local da maior baía dos Açores. A cidade natal do notável Vitorino Nemésio, começou a ser povoada entre 1456 e 1474. O nome atual surgiu após a batalha de 1829 – resistiu à armada de D Miguel com 21 navios. Um novo porto e um aeroporto militar no século XX contribuíram para o desenvolvimento da cidade. A Praia da Vitória recebe anualmente o Campeonato Mundial de Windsurf.

Os principais destaques da Praia da Vitória são:
  • Campo de Golfe da Ilha Terceira
  • Ermida de Nossa Senhora dos Remédios
  • Forno da Telha da Boa Vista
  • Igreja Matriz
  • Igreja de Nossa Senhora da Guadalupe
  • Igreja de São José
  • Marina da Praia da Vitória
  • Casa Vitorino Nemésio
  • Museu do Carnaval
  • Museu do Vinho dos Biscoitos
  • Paços do Concelho
  • Miradouro da Caldeira
  • Miradouro dos Moinhos
  • Miradouro da Canada dos Sousas
  • Miradouros da Serra do Cume
  • Miradouro do Facho
  • Miradouro Humberto Delgado
  • Paisagem Ramo Grande
  • Paúl da Praia da Vitória
  • Paúl da Pedreira
  • Paúl do Belo Jardim
  • Baía da Praia
  • Praia da Riviera
  • Piscina da Caldeira das Lajes
  • Zona Balnear das Escaleiras
  • Zona Balnear das Quatro Ribeiras
  • Zona Balnear dos Biscoitos
  • Zona Balnear do Porto Martins
  • Zona Classificada da Alagoa da Fajãzinha
  • Zona Classificada Costa das Quatro Ribeiras

Grupo Ocidental dos Açores

Ilha do Corvo

A ilha do Corvo é a ilha mais pequena dos Açores, tem 6,29 km de comprimento e 3,99 km de largura máxima, é habitada por 430 pessoas. A ilha do Corvo é administrativamente organizada na única Câmara Municipal do Corvo. É conhecida vulgar,mente como "A ilha do sossego", tendo sido descoberta em 1452 por Diogo de Teive. O povoamento começou em 1548 com o envio de escravos originários de Cabo Verde, agricultores e criadores de gado. A localidade do Corvo foi elevada à categoria de vila no dia 20 de Junho de 1832 pelo rei D Pedro IV. A emigração para os Estados Unidos da América e para o Canadá aumentou a partir do século XIX. A Ilha do Corvo sempre foi uma ilha isolada, contudo a inauguração do Aeródromo do Corvo no dia 28 de Setembro de 1983, mudou o isolamento da ilha. Atualmente os voos são feitos num avião Dornier 228-212 da SATA Air Açores. Existem ligações aéreas para as ilhas vizinhas de Santa Cruz das Floresilha das Flores -, cidade da Horta na ilha do Faial - e cidade das Lajes na ilha Terceira. A ilha do Corvo encontra-se classificada como Reserva da Biosfera pela UNESCO desde 2012. Esta classificação foi atribuída com o objetivo de promover a ilha como um exemplo mundial de conservação e desenvolvimento sustentável.

A ilha do Corvo tem apenas um restaurante, "O Caldeirão", um parque de campismo localizado junto à Praia da Areia – e uma residencial, a Guest House Comodoro com oito quartos.
As festas e romarias mais importantes na ilha do Corvo são:

  • Festas do Espírito Santo: realizam-se anualmente entre Maio e Setembro em todo o arqueipélago
  • Festa do Agricultor: realiza-se anualmente em Junho
  • Festa de Nossa Senhora dos Milagres: realiza-se anualmente em Agosto

Locais a visitar na ilha do Corvo

  • Caldeirão: é uma grande cratera do vulcão extinto que deu origem à ilha. O Caldeirão tem uma profundidade de trezentos metros e um diâmetro de 5500 metros. É a grande atração paisagística da ilha do Corvo
  • Vila Nova do Corvo: é a única localidade da ilha do Corvo. É a vila mais pequena de Portugal com apenas 430 habitantes. A Zona histórica da vila do Corvo é uma local único nos Açores, onde é possível observar casas baixas e sem fechaduras. Local onde se pode percorrer as "canadas", ruas estreitas e sinuosas. Recomenda-se uma visita à rua Matriz, a mais antiga da povoação
  • Camada da Rocha: é um local onde existe um pequeno miradouro onde é possível ver o Porto da Casa e o oceano Atlântico
  • Casa do Bote Baleeiro: é uma casa-museu construída com o objetivo de divulgar o passado baleeiro da ilha. Inclui um bote baleeiro e uma coleção de aproximadamente 500 fotografias do príncipe Alberto I do Mónaco de quando esteve na ilha do Corvo em missão científica
  • Centro de Interpretação do Corvo: inclui a última "atafona", um moinhos de água movido por animais ou pelos humanos, uma ludoteca, uma ecoteca e uma medieteca
  • Igreja de Nossa Senhora dos Milagres: é a única igreja da ilha com uma imagem de origem flamenga da padroeira da ilha do século XVI
  • Miradouro do Portão: é um miradouro que proporciona uma vista sobre a vila do Corvo, sobre toda a ilha e sobre o oceano Atlântico
  • Moinhos de vento: localizados na faixa litoral da ilha, têm a particularidade de terem sido construídos com pedra negra
  • Praia da Areia: única praia de areia negra da ilha

Atividades a experienciar na ilha do Corvo

  • Mergulho subaquático: os principais locais de mergulho são a Baixa da Ponta do Marco, a Baixa do Buraco, o Caneiro dos Meros, a Gamela e o Moldinho
  • Observação de aves
  • Caminhadas
  • Passeios de bicicleta

Ilha das Flores, Açores

  • A ilha das Flores tem 16,6 km de comprimento e 12,2 km de largura máxima, com aproximadamente 3800 habitantes. O cume mais alto da ilha é o Morro Alto com 911 metros de altitude. A ilha das Flores é administrativamente organizada em duas câmaras municipais – Lajes das Flores e Santa Cruz das Flores – e onze freguesias:
  • Lajes das Flores encontra-se administrativamente organizada em sete freguesias:
    1. Fajã Grande
    2. Fajãzinha
    3. Lajedo
    4. Lajes das Flores
    5. Fazenda
    6. Lomba
    7. Mosteiro
  • Santa Cruz das Flores: encontra-se administrativamente organizada em quatro freguesias:
    1. Caveira
    2. Cedros
    3. Ponta Delgada
    4. Santa Cruz

A ilha das Flores é o território mais ocidental da Europa e deve o nome à variedade e abundância de plantas e flores. As principais características são as grandes falésias e as muitas quedas de água que existem em toda a ilha. A ilha das Flores integra a Rede Mundial das Reservas da Biosfera da UNESCO desde 2009 devido às zonas costeiras, aos ilhéus e à floresta.

A ilha das Flores foi descoberta por Diogo de Teive em 1452. O povoamento começou a ser feito no século XVI. Em 1587 foi atacada por navios da marinha inglesa. A caça à baleia animou a economia da ilha durante o século XIX e primeira metade do século XX devido à presença de navios baleeiros dos Estados Unidos da América. A ilha cresceu economicamente com a construção de um novo porto e de um aeroporto. É de assinalar a presença na ilha de uma estação de telemedida francesa.

Locais a visitar na ilha das Flores

  • Aldeia da Cuada
  • Cascata da Ribeira Grande
  • Fajã Grande: é uma zona balnear da ilha das Flores e um dos pontos mais ocidentais da Europa
  • Hotel das Flores Inatel: estabelecimento turístico de quatro estrelas localizado na zona do Boqueirão em Santa Cruz das Flores. Tem por principal destaque a vista magnífica sobre o Atlântico, a costa da ilha e a ilha do Corvo
  • Gruta do Galo
  • Lagoa Branca
  • Lagoa Comprida
  • Lagoa da Lomba
  • Lagoa Funda
  • Caldeira Negra
  • CaldeiraRasa
  • Lagoa Seca
  • Miradouro Ponta da Vista: proporciona uma vista panoramica sobre a costa leste da ilha das Flores
  • Poço da Lagoinha
  • Restaurante Por do Sol: localizado na Fajãzinha tem por principais atrações a gastronomia típica, as algas fritas são um dos destaques da ilha e uma esplanada num miradouro que permite desfrutar de uma vista panorâmica sobre o oceano Atlântico e sobre algumas das falésias da ilha
  • Rocha dos Bordões: é um fenómeno geológico caracterizada por enormes colunas de basalto
  • Vila Lajes das Flores

Factos rápidos sobre os Açores

  • População: aproximadamente 250 mil habitantes
  • Capital Administrativa: Ponta Delgada
  • Região: Região Autónoma dos Açores
  • Aeroportos: 4
    1. Aeroporto de Ponta Delgada
    2. Aeroporto da Horta
    3. Aeroporto de Santa Maria
    4. Aeroporto das Flores
  • Aeródromos: 5
    1. Graciosa
    2. Pico
    3. São Jorge
    4. Corvo
    5. Flores
  • Campos de Golf: 4
    1. Batalha Golf Course – ilha de São Miguel
    2. Furnas Golf Course – ilha de São Miguel
    3. Pitch and Putt – ilha de São Miguel
    4. Terceira Golf Course – ilha de Terceira
  • Estabelecimentos Turísticos de Cinco Estrelas: 2
    1. Hotel Azor – 258 camas disponíveis
    2. Hotel Resort Pedras do Mar – 250 camas disponíveis
  • Marinas: 3
    1. Marina de Angra – tem 260 lugares de amarração,
    2. Marina da Horta – tem 300 lugares de amarração
    3. Marina de Ponta Delgada – tem 640 lugares de amarração

menu